PSICOTERAPIA E AJUDA

Psicoterapia e Ajuda

O que é ajuda afinal?

Costumamos ter uma visão negativa de ajuda, não é “bacana” “pedir ajuda”, isso muitas vezes é visto como fraqueza.

Dentro de algumas organizações então, pedir ajuda, pode ser visto como sinal de incapacidade, dificuldade de resolver problemas devido a uma cultura de competição.

Como resultado desse pensamento e dessa visão, o indivíduo se retrai cada vez mais, sente-se aniquilado por suas emoções que nem mesmo consegue identificá-las, pela sua sensação de incompetência, pelo peso de TER QUE DAR CONTA.

Pode até desabafar com um amigo, mas isso não é suficiente para resolver a situação.

 

Mas então, o que fazer?

Nesse momento de pandemia, as pessoas começaram a buscar mais pelo processo psicoterapêutico.  Não só o processo individual, mas de casal e família também. Afinal conviver 24 hs, significa se deparar com quem é e quem é o outro na sua vida.

A Psicoterapia nada mais é, do que uma relação de ajuda, onde o “cliente” e não paciente, busca uma forma de aprender a lidar com suas questões.

O cliente é o centro, ele é o mais importante. E o psicoterapeuta vai contribuir para a capacitação do cliente, no sentido de reconhecer, sentir, identificar suas emoções, seus desafios e decidir se e no quê gostaria de mudar.

Nesta relação entre psicoterapeuta e cliente, aqui utilizo o termo cliente, pois paciente fica passivo e esta é uma relação na qual o indivíduo não está numa postura passiva e sim ativa. Nesta relação, o cliente é o centro, é ele que sabe da sua dor e o que ele realmente quer, mesmo que muitas vezes o cliente diga: “não sei o que quero; não sei o que fazer”, é ele que sabe da sua história, cabe ao psicoterapeuta ser o facilitador.

O psicoterapeuta é um alguém preparado para auxiliar o cliente na compreensão de si mesmo e na definição de que caminho quer seguir.

Esse processo contempla a ampliação da consciência, da percepção, da atenção, da autoimagem, da visão de mundo, do roteiro de vida, do autoconhecimento, enfim é um processo de crescimento e como processo não se encerra tão rapidamente.

Muitas vezes quando recebo alguns clientes, eles perguntam: quantas sessões são necessárias?  Sempre explico,  que esse é um processo, não é possível dizer quantas sessões exatas, porém é possível acompanhar e avaliar em conjunto, cliente e psicoterapeuta, a evolução do cliente.

A psicoterapia pode contribuir para que o indivíduo assuma a responsabilidade pela direção da sua própria vida, seja o “protagonista”.

Na psicoterapia existem diferentes linhas ou bases de trabalho, a minha é a Análise Transacional com um olhar sistêmico do cliente.

E ao longo dos anos tenho percebido como os clientes “enxergam” as suas ações dentro dessa linha.

A psicoterapia pode ser individual, em grupo, família ou casal, cada psicoterapeuta tem sua própria escolha.

Pude observar, que na pandemia muitos casais têm procurado a psicoterapia e a procura pela psicoterapia individual também cresceu.

Acredito que isso se deve ao fato de que os casais, estão convivendo efetivamente e se deparam com dificuldades que antes não aconteciam pelo pouco tempo de convívio diário. Os pais mais do que nunca tiveram que assumir seus filhos 24 horas por dia, portanto vários papéis a serem desempenhados, de pai, mãe, esposa, esposo, profissional, filho, filha.

Nesse aspecto, o benefício é poder olhar para si mesmo e para suas relações, aqueles que estão conseguindo, fortalecem seus laços ou chegam à conclusão de que preferem seguir seus caminhos separadamente, porém isso pode ocorrer de forma saudável.

Portanto, fazer terapia pode te auxiliar nas mudanças individuais que você pode escolher fazer para a melhoria nas suas relações, seja com você mesmo, com seus pares, com sua família, com a vida.

 

Essa é uma decisão que só você pode tomar.

 

Maria do Carmo Schmidt

Psicóloga/Psicoterapeuta

CRP 08/2360

Atende individual e casais

Linha de atendimento: Análise Transacional e Sistêmica

(41)99987-1836